Redes Social

twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemail

Paginas

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Supostos restos mortais de Tiago, irmão de Jesus, terão exposição pública em Israel

Dono do artefato foi acusado de forjar a inscrição com o nome de Jesus
Uma antiga caixa de 2.000 anos de idade contendo os supostos restos mortais de "Tiago, o Justo", historicamente lembrado como o irmão de Jesus, serão apresentados através de uma exibição pública em Israel.

A exposição vem à tona logo depois que Oded Golan, coletor de antiguidades e dono do artefato, provou sua inocência após a acusação de forjar a caixa. Segundo ele, está claro que a caixa é antiga, além de ser a evidência mais antiga a mencionar o nome de Jesus Cristo.

A inscrição com o nome de Jesus foi justamente o que colocou Golan sob dúvida, e após dez anos de investigação, recebeu a sentença como inocente pelo Supremo Tribunal de Israel. No entanto, todo o trabalho da perícia teria desfigurado o registro na pedra, conforme relatado por ele ao The Guardian.

O ossário foi adquirido pelo atual proprietário na década de 1970. A gravura completa traz a frase "Santiago, filho de José, irmão de Jesus". Em 2002, o receptáculo foi colocado em exposição, em um museu na cidade de Toronto (Canadá), mas foi interrompida logo que veio a denúncia de fraude.

O colecionador pretende reparar a caixa. No entanto, ainda deve passar por mais testes para comprovar sua autenticidade, visto que as formas da inscrição dão uma noção de falha, por conta de discordâncias de espaçamento e de profundidade apontadas por especialistas.

Para expor o objeto, Golan pretende utilizar o depoimento de outros pesquisadores que falaram a seu favor, com a garantia de que a caixa é verdadeira. "A inscrição está gravada em um roteiro judaico e foi feito com instrumento afiado. Acho que foi feito à mão. É uma inscrição autêntica", disse o Professor Gabriel Barkay, da Universidade de Bar-Ilan, em Tel Aviv.

Entre os grupos que contestam a veracidade da caixa, o colecionador tem a Igreja Católica Romana como opositora, pois a congregação do Vaticano firma a tese de que Jesus Cristo nunca teve irmãos ou irmãs de sangue.

domingo, 20 de outubro de 2013

Direitos Humanos aprova projeto que desobriga igrejas de casar homossexuais

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, presidida pelo pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), aprovou na quarta-feira (16) um projeto de lei que determina que as igrejas possam se recusar a realizar casamentos de pessoas que violem seus valores, doutrinas ou crenças, sem que essa conduta seja considerada discriminação. A medida seria estendida também a rejeitar aqueles que desrespeitam o ambiente religioso. A consequência dessa nova norma será resguardar o direito das instituições de não serem obrigadas a realizar casamentos homossexuais.
A proposta 1411/11, elaborada por Washington Reis (PMDB-RJ), acrescenta um artigo à Lei 7.716/89, que cuida dos crimes resultantes de preconceito.

Segundo o autor, a prática homossexual está em desacordo com muitas doutrinas religiosas. Assim, em sua opinião, a preservação do direito das minorias não pode levar ao desrespeito “de outros direitos e garantias constitucionais”. Washington acredita que a proposta está de acordo com a liberdade de consciência e de crença, cláusula pétrea da Constituição brasileira.

O relator da CDHM, deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), apresentou parecer favorável à matéria. Segundo ele, há casos de casais homossexuais que procuram igrejas para se casar e, diante da recusa, processam padres e pastores. “Nós queremos descriminalizar essa atitude do pastor em defesa da linha da sua igreja, que é um direito dele não realizar aquele casamento”, argumenta.

Bolsonaro garante ainda que “ninguém quer expulsar gays de igreja” e os indivíduos serão avaliados “pelo comportamento”, uma vez que não há outra forma de saber quem é ou não homossexual. O deputado afirma ainda que “os homossexuais também, como um todo, não querem se casar em igreja” e que “essa minoria vai lá [nos cultos] para provocar”.
O projeto será avaliado agora pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Já para o deputado Chico Alencar (Psol-RJ), o texto do projeto confere à autoridade religiosa, dentro da sua igreja, “um tipo de poder discriminatório que ofende, inclusive, a lei, corretíssima, contra qualquer discriminação”. Isso porque caberá ao padre ou ao pastor verificar se a pessoa se comporta ou tem valores em acordo ou desacordo com a doutrina que professa. E completa: “É um projeto que faz um agito, talvez arrebanhe gente, tenha alguma função eleitoral futura, mas não passa no quesito da constitucionalidade”.

Marco Feliciano, em sua página no Twitter, comenta sobre a repercussão do caso na imprensa: “Mais uma vez uma parte da mídia mente deslavadamente! Dizendo que foi aprovado um projeto que proíbe a entrada de pessoas em cultos. Quando aprenderem a ler os projetos e interpretá-los sem preconceito talvez haja paz. Como podemos impedir alguém de ir à igreja? Todos tem o direito de ir e vir. Independente de sexo, cor ou fé, todavia o respeito aos cultos, templos e homilias tem q ser observados. Sejam todos benvindos aos cultos evangélicos e católicos! Cultuem conosco! Adorem a Deus conosco! Um abraço a todos!”.

Fonte:http://portugues.christianpost.com/

Igreja do Exército da Salvação é incendiada por muçulmanos no Quênia

Um grupo de jovens muçulmanos incendiou uma igreja do Exército da Salvação em Mombasa, maior cidade portuária do Quênia, de maioria mulçumana, durante uma manifestação em protesto contra a morte de um sacerdote islâmico.

O grupo de manifestantes ateou fogo em pneus a na igreja ao entrar em confronto direto diante da polícia, que tentou reprimir o protesto com tiros e gás lacrimogêneo. A manifestação durou cerca de três horas e quatro pessoas foram mortas.

A tensão religiosa entre cristãos e muçulmanos foi desencadeada com os eventos dos últimos dias. Na última quinta-feira (3), o xeque Ibrahim Omar foi morto a tiros como possível represália a um grupo de militantes muçulmanos que matou 67 pessoas, há duas semamas, em um shopping na cidade de Nairóbi.

E ao responsabilizar a polícia pela morte de Omar, os muçulmanos acusaram a corporação local de usar o atentado no shopping como pretexto para dar patida em um contra-ataque. Contudo, a polícia queniana nega qualquer tipo de reação.

A pior parte do confronto entre manifestantes e policiais ocorreu em um bairro conhecido como Saba Saba de Mombasam onde lojistas foram obrigados a fechar suas lojas e moradores bateram em retirada, atrás de segurança, de acordo com a Reuters.

"Estamos tentando lidar com alguns jovens que começaram a causar problemas na cidade. São poucos. Vamos contê-los", afirmou Robert Kitur, chefe da polícia de Mombasa em depoimento divulgado pela Reuters.

Para resguardar a segurança de turistas, o governo dos Estados Unidos estabeleceu um alerta contra viagens ao Quênia, considerando "desnecessária" e "não amigável" uma visita ao país neste período de tensão.

Fonte:http://portugues.christianpost.com/

Estudante sofre bullying de professor por dizer que Bíblia é não-ficção, grupo cristão responde

Em um incidente recente, um estudante do estado da Califórnia (EUA) teve que lidar com o ato de bullying de seu professor, que o provocou quando ele ressaltou que a Bíblia não se trata de um livro de ficção.

O professor, não identificado, pediu a seus alunos da escola Margarita Middle School, em Temecula, para lerem um livro de não-ficção à noite, durante trinta minutos. Como prova, todos teriam que fazer uma tarefa de casa, trazendo o livro no dia seguinte para conferência do professor.

Já na sala de aula, quando o professor já verificava se os livros de cada um estavam adequados, se surpreendeu ao ver que um dos livros era a Bíblia e decidiu questioná-lo, por discordar de que a obra é uma não-ficção.

Ao perguntar se a Bíblia narrava a realidade, o estudante respondeu: "Honestamente, eu acredito que seja", destacou. Em seguida, o professor teria caminhado até a frente da sala de aula e indagado aos alunos: "Quantos de vocês pensam que a Bíblia é não-ficção?", apontou o relato do aluno.
Embora o professor não esperasse a reação de nenhuma outra pessoa, dois alunos levantaram a mão, em defesa do companheiro de sala.

E para completar a reação, o grupo jurídico cristão Defensores de Fé e Liberdade (Advocates for Faith and Freedom, em inglês) apontou que está preparando uma carta para o distrito escolar, com a reinvindicação de uma política anti-bullying na escola, já que teria ficado evidente que o ato foi de provocação desmedida.

Para Robert Tyler, presidente e conselheiro geral do Defensores de Fé e Liberdade, o comportamento do professor é inaceitável, pois violam as leis do Estado, e é necessário tomar uma medida para reduzir a agressividade em relação à fé cristã.

"Este foi um exemplo da crescente hostilidade em relação ao cristianismo, que é visto nas salas de aula de escolas públicas, e assim acreditamos que devemos tomar uma posição. Acreditamos que as ações desse professor violam a Cláusula de Estabelecimento, que obriga o Estado a manter-se neutro em questões de religião", resume Tyler.
Em seguida, ele ressalta que os cristãos devem receber a mesma proteção exigida a outros grupos que sofrem com segregação por parte da sociedade.

"Hoje em dia, não há restrição ao bullying contra estudantes cristãos por parte dos professores. Se um professor agissse da mesma forma contra um estudante homossexual, com base na orientação sexual do aluno, o professor seria disciplinado de forma séria e significativa. Mas por alguma razão, esses professores sentem que têm a capacidade de se envolver em este tipo de hostilidade e tentativa de humilhar os alunos cristãos", afirma Tyler.

O caso ocorrido na Califórnia acompanha outras situações recentes que violam a liberdade religiosa no sistema público de ensino dos EUA.

Recentemente, uma escola no estado de Ohio, parte nordeste dos EUA, foi forçada a remover um retrato de Jesus e pagar uma alta multa, mesmo depois da escola argumentar que a figura fazia parte apenas de uma exposição histórica no local.

Em outro caso, no início de setembro, uma criança de 10 anos de idade, da cidade de Nashville, sudeste dos EUA, foi forçada a corrigir seu trabalho escolar depois de descrever Deus como seu ídolo.

Fonte: http://portugues.christianpost.com/

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

UMADESV

Aconteceu no ultima dia 04/08/2013 o final do 23° Encontro Setorial da UMADESV 2013 em São Vicente, no Embu, da qual a Mocidade Nova Aliança em Vila Andrade faz parte, ali Deus foi glorificado e exaltado, parabéns a Mocidade por esse trabalho e que Deus possa abençoar o proximo evento caso Jesus não venha antes, segue algumas fotos da Mocidade Nova Aliança na Igreja Sede, agradecendo desde já a Deus em primeiro lugar e a Pastor José Wellington Bezerra da Costa, Pastor Presidente pelo apoio, o Pastor Setorial Israel Elias de Melo e aos lideres da Mocidade.

sábado, 3 de agosto de 2013

Silas Malafaia critica 'idolatria ao papa', Vaticano, e causa 'ira' dos católicos no Twitter

O pastor Silas Malafaia gerou nova controvérsia depois da visita do papa ao Brasil que terminou neste domingo (28). O líder evangélico fez críticas principalmente à idolatria ao papa e gerou revolta dos católicos via Twitter.

“Ñ adoramos ídolos,ñ adoramos homens somente ao Deus trino.a Deus a honra,gloria e o poder.aqui esta o sucesso da igreja evangélica”, escreveu Silas Malafaia na sua página da rede social.

Silas Malafaia sugeriu a leitura da Bíblia para os usuários se informarem sobre o ato da idolatria como pecado, ressaltando que o instrumento da verdade do cristianismo é a Bíblia, “não nem os pastores, bispos ou o papa e sim a biblia.”

“Quer saber a verdade do evangelho? leiam a BIBLIA ela é a palavra de Deus (sic).”

“Que tal ler o q a biblia fala sobre a idolatria.Jesus,Paulo,Pedro dão uma verdadeira " lambada" no assunto. LEIAM! (sic)”

“A verdade absoluta para nós evangelicos é Jesus e ñ o papa.reconhecemos que o papa é apenas o líder de uma religião,nada mais ,nada menos (sic).”

O líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo falou ainda sobre o crescimento dos evangélicos, o que se tornou motivo de preocupação ao Vaticano, segundo relatórios da mídia.

“O crescimento da igreja evangélica ñ é fruto da capacidade do homem, mas o agir sobrenatural de Deus.alguns gostando ou ñ vai continuar (sic)”, escreveu o religioso.

À medida que Silas publicava os tweets, as críticas também o acompanhavam iniciando o que pareceu ser uma guerra viritual via Twitter entre ele e os católicos. O clima esquentou, principalmente, depois que ele falou sobre os recursos financeiros do Vaticano.

“O Vaticano possui uma das maiores reservas de ouro do mundo. Os bilhões de dólares fraudados do banco do Vaticano dirigido por cardeais… milhões e milhões de reais de ofertas e dizimo de católicos enviados para cobrir o rombo do banco. Querem falar de pastores? Calem a boca. Já foram no Vaticano para ver a pobreza que é? Eu já estive lá. Calem a boca para falar de pastor. Conversa fiada de pobreza”, escreveu Silas.

“As casas dos pastores que sao exemplo de simplicidade né Silas (sic)?” ironizou um usuário.

“Querido irmão, infelizmente sua postura é lamentável. Mas a vida continua, o caminho de Cristo é o da Cruz”, disse o padre Roger Luis.

Mas as críticas não foram razão para intimidar o pastor evangélico e ele publicou um tweet direto e nada simpático.

“Ñ gosta do q falo porque me acompanha,cai fora se ñ gosta do contraditório.Se me acompanha e me acha inescrupuloso ,voce é pior do q eu”.

Apesar da “guerra virtual”, o debate pareceu ter servido como reflexão a outros usuários, que mesmo sendo católicos concordaram com suas posições.

Sobre a idolatria, o usuário católico Gabriel Rippel Marca disse,“@PastorMalafaia sou católico mas não entendo,o Papa fala sobre idolatria e se deixa idolatrar,se deixa ser o pop star,não entendo mesmo...”

E a usuária Carla Corga concordou sobre uma possível falta de leitura bíblica pelos católicos.

“O problema é que os "cristãos" não evangélicos, não lêem a Bíblia. Não sabem o que estão seguindo. Confiam nas crendices. estive 14 anos dentro de igreja católica e nunca vi ninguém lendo. As pessoas acham que nasci evangélica, mas não”, comentou.

Fonte: http://portugues.christianpost.com

Morre pastor e fundador da igreja missionária na Eritreia

Um dos anciãos e fundadores da Igreja do Evangelho Pleno, morreu de causas naturais na Eritreia, no dia 27 de junho.
O pastor Tewelde Hailom, tinha câncer há muitos anos, respeitado por cristãos e pela sua influência espiritual. Era um exemplo de resistência em meio ao sofrimento.

“De fato, é um tempo sombrio para nossas igrejas, mas nos consolamos porque ele está na presença do Senhor, a quem serviu fielmente desde jovem até o dia de sua morte. Ele era um homem bom. Peça a Deus que console os cristãos que estão de luto pela perda de um de seus pais espirituais”, disse uma cristã local à Portas Abertas.

Em meados de 2009, o lar do pastor Tewelde foi invadido por forças de segurança e três pessoas foram presas. Ele não foi preso por estava com sua saúde debilitada. No entanto, esteve em prisão domiciliar com guardas vigiando o lado de fora de sua casa.

Nos dias que se seguirão 11 homens e mulheres que pertenciam à igreja do Evangelho Pleno enquanto que o pastor Tewelde era interrogado. Uma irmã em Cristo na ocasião foi quem cuidou do líder religioso devido ao seu estado de saúde.

A falta de comida agravou sua condição física e não se sabe quanto tempo durou esta prisão domiciliar, mas a Portas Abertas foi informada que ele ainda esteve em prisão uma segunda vez, após este episódio.

Pastor Tewelde era solteiro, ele tinha um irmão, mas não se sabe ao certo quanto familiares ele deixou.

Com Informações: Portas Abertas.

Fonte: http://www.overbo.com.br
 

sprintrade network